quarta-feira, 4 de julho de 2007

O vício das emoções

Como pode um determinado fato desencadear em fatos desagradáveis ao decorrer de nossas vidas, como pode uma simples notícia afetar tanto o modo como encaramos a realidade, ou sua casca? Esse é o mundo que vivemos, o mundo surreal, o mundo tomado pela nossa consciência, aonde somos meros representantes dos sentimentos intrínsicos. De que vale planejar o futuro se esse é improvável e manifestado naturalmente de acordo com nossas ações do presente? somos donos das nossas atitudes e manipulamos nossa vida de acordo com o andar das coisas. Não existe paixão, existe sim o vício do sentimento de bem-estar quando se está ao lado da pessoa em questão, como alguém pode dizer que está apaixanado se não sabe o que acontecerá no segundo próximo, e nossas ações sempre são baseadas no futuro, sempre! O fato de querer sentir tais emoções nos torna viciados em um propósito único, ilusão! afinal cada milésimo é diferente de outro, e assim por diante, tudo mudo todo o tempo! Pensando desse modo, não diga mais que está apaixonado... é melhor confessar que está viciado em uma emoção que você sente a cada momento que pensa na pessoa que te faz bem. Agora, o que podemos falar da tristeza, seria um vício em emoções ruins? Não! ela é justamente a explicação de que não existe alegria, e sim vício em sentimentos que agregam felicidades momêntaneas. Quando se sente triste, arrasado... você perdeu o vício, se libertou, está fora do círculo dos viciados nas emoções de prazer! É triste dizer isso, mas esse mundo não é real, o que é real é a crença que temos de ver tudo que há em torno de nós, de uma perspectiva egocêntrica e inpensada achando que somos donos das nossas emoções. NÃO! tudo isso é fruto da consciência de cada um, consciência essa que determina até quando você vai sorrrir a partir de que momento sua vida entrará em caos! Portanto, curta teus momentos de sublime paz, quem sabe daqui a pouco você perde esse vício tão prazeroso e entra em um mar de desgosto! seja BEM-VINDO(A) ... e passa a bola!

2 comentários:

Peter disse...

e trocar um vício bom por um vício ruim???

nem a pau juvenal...!!!

vou viciado em vícios positivos... assim como cerveja, sexo, paz, amor e alegria!!!

pago bem pela réplica!

Cláudia disse...

Vícios são sempre vícios, troca-se o objeto mas não a sensação, a satisfação talvez esta a motivadora dos vícios que temos.
Não é facil se assumir um víciado, assim como um apaixonado se revelar.
Concordo plenamente no que concerne a dizer que tudo muda a todo tempo. Mudamos o pensamento, a ação, os sentimentos e tudo em nós. Só deixamos imutavel aquilo que não queremos perder e guardamos como alguns vícios.
E o que é o vício para cada ser em si ?
Vício ato ou efeito de viciar que do Latim VITIARE, corromper, seduzir, dominar, obcecar.
O bom ou o ruim, assim como o bem ou o mal ... escolhemos ou jugamos pelo o que nos convém.
E sim cada um faz suas escolhas manter-se víciado ou abster-se do vício, somos donos de nós e o vício apenas faz parte de um todo que precisa de muito para ser completo.

... adoraria uma continuação ...

 
Copyright 2010 pago bem!