domingo, 23 de setembro de 2007

Com Vocês, a SAUDADE

Pois bem, quando falamos em saudade logo remetemo-nos à nossa época de criança, afinal todos sentem falta da tão vivida juventude presenciada e degustada com fervor. Eu já digo de antemão que sinto muita falta da minha fase de criança, mas como vivo mais intenso e conscientemente com meus 22 anos, acredito que a verdadeira saudade que sinto hoje é de quem entrou na minha vida após a maturidade e saiu com um até logo ou até um Adeus. Mas como driblar esse sentimento tão corrosivo? Como saltar fora desse trem que não admite paradas constantes e prevê a chegada como um processo moroso e demorado? É, às vezes é melhor não embarcar em trem algum ou mesmo seguir a pé, sozinho e indeciso. Seria tão bom se pudéssemos nos abster desse ticket para o sofrimento, afinal é comprovado (por mim) que a saudade é pior que surra de fio de luz, embora nunca tenha apanhado desse delicado modo. Pudera, o fio de luz provoca somente alguns vergões (sangue à torto e à direito) por uma semana no máximo ... Mas voltando ao assunto em questão, não conheço quem tenha morrido de saudade, mas isso não é evolução alguma se tratando da corrida contra o tempo castigado pela ansiedade. Poderíamos tirar lições dessa tão dolorosa fase, a mais simples dela é que vivemos um constante amadurecimento em nossas vidas, de que valeria o diploma sem anos à fio de estudos? De que valeria à pena um trabalho estável sem a dedicação? Há um ditado que fala algo sobre “Tudo vale a pena quando a alma na é pequena” e a saudade não fica longe disso, ela aumenta o amor mas não dissipa a dor, aumenta a vontade mas sequer resolve a metade . Há uma música interessante que carrega um pouco da essência desse post: “Não fique esperando pelo trem, o trem dos sonhos não espera por ninguém” .. do ponto que a saudade é uma realidade, ela não espera e quando você vê, embarcou nesse meio de locomoção com destino à impotência e subordinação do acaso. Crescer apenas por crescer não agrega valor aos nossos atos, infelizmente é preciso sofrer e garantir que a saudade é uma ferramenta para a felicidade ao longo prazo. Mas eu não escolhi isso, tampouco adquiro algo no crediário .. É meu amigo, eu embarquei nesse trem, e nele só levo a saudade de bagagem, na mala de mão está meu coração caprichosamente estilhaçado pelos minutos que teimam em regredir. Alguma sugestão? Duvido que haja, minha torcida é que o terminal de desembarque leve o nome de ‘dezembro’ .. E como eu sinto falta ...

1 comentários:

Cláudia disse...

Entao as vesperas de dezembro o q vc fala da saudade ?
Eh o tempo passa os dias contados e interminaveis chegam oa fim ... e o que vem depois da saudade? a criatividade de fazer o tempo passar o que se fez neste tempo que passou o hj eh sempre mais interessante que o amanha e o ontem .. ele ja passou e vc fez o queria? nao ainda ha tempo .. esse tempo que conta nossa vida e parcela tudo em dias.. bons ou ruins somos nos que escolhemos no momento em que saimos da cama...
ENtao um bom hj parater um bom amanha e a saudade .. faz parte daquilo do que foi bom e pode se tornar ainda melhor ....

 
Copyright 2010 pago bem!