quarta-feira, 19 de março de 2008

Vicente e Janaína III - as coisas vão encaixando

Extravasar foi a melhor coisa que acontecera na vida de Janaína. De rica e careta, ela passou à rica com consciência social. Vicente, que já estava cansado de tantas ressacas e prejuízos financeiros por apostas mal feitas, resolveu visitar “aqueles malucos que usam calça comprida, gel no cabelo e carregam um livro embaixo do braço”. Caricatamente, a religião mudou sua vida. As verdades contidas na Bíblia, e a triste história de Nosso Senhor Jesus Cristo fizeram com que ele se comovesse, e atingisse a paz interior que há muito buscava. Janaína passou a freqüentar ONGs, fazer trabalhos sociais e inscreveu-se no Greenpeace. Há quem diga que ela quase derrubou Mrs. Bündchen em um desfile da Victoria's Secret, pois piamente acreditava que seus cremes eram testados em animais. Depois de lutar pelos pobres e indefesos animais desse mundo, resolveu que gente era mais importante. Foi ao cinema e assistiu Hotel Rwanda. Ao pesquisar sobre o assunto, descobriu sua vocação: lutar pelos rebeldes e oprimidos. Vicente virou pastor. Janaína virou guerrilheira. Janaína estudou “A Arte da Guerra” em oito línguas diferentes. Não queria perder nenhum detalhe que pudesse ser omitido por uma tradução mal feita. Tornou-se especialista em estratégia. Aprendeu Kung-Fu, Muay-Thai, Jiu-Jitsu e Luta Greco-Romana (que virou sua paixão). Lutava tão bem e era tão disciplinada que em dois toques virou uma lenda no mundo das artes marciais. Tarantino ouviu falar dela e prestou uma homenagem em seu filme “Kill Bill” (não, ela não era o personagem de Uma, e sim Pai Mei, o mestre). “The Five Touching Points That Kill” era o nome de um golpe que Janaína desenvolveu, treinando com uma venda nos olhos no movimentado distrito de Marrakesh. Vicente entrou em todas as igrejas possíveis. Como era um cara que viveu na noite, tinha um dom para a conversa, fato que fazia com que ele rapidamente fosse admirado por todos ao seu redor. Usava suas palavras para transmitir a palavra do Senhor. Muitos pastores mal-intencionados usaram sua habilidade para angariar fundos, mas Vicente, vivo como era, percebia e saia do negócio, afinal, para ele isso não era um negócio. De tanto perambular pelas religiões e doutrinas desse mundo, Vicente cansou. Formou sua própria igreja: Deus me quer, e quer você também!

2 comentários:

Beto disse...

haha, muito bom peter... agora eu entendi a verdadeira mensagem daquela frase: "o mundo dá voltas" .. podemos explicar "tudo" com o terceiro capítulo de vicente e janaína. Acredito que servirá de base para muitos estudos da mente perturbada.hauha

abraço

Peter disse...

vicente e janaína ainda não está concluído... aguarde!!!

 
Copyright 2010 pago bem!