terça-feira, 29 de julho de 2008

Through shallow ways, thou shall pass.

It isn’t against any odd. It is just a simple rule which happens to take place in every single person’s life.

Firstly, the English shall not be as correct as it was in earlier days. So as the thoughts that inspire this post.

Conflict is inherent to the human being. Persistence and other skills needed to win them are not.

Those who say that life is a paradox are either well-prepared for living or idiots who just repeat what have been told them.

When in youth, people tend to think that everything is possible. Everybody can do anything. Everybody is prepared. The paradox lies in a second stage. When grown-ups, these same people do not think, they simply "do" things, and question other things they don’t feel prepared to do.

Consequently, grown-ups question themselves, forgetting about the "irresponsible" teenager he/she used to be. Responsibility is the main skill which is created just as time goes by. It also pulls other feelings such as altruism, courage and self-awareness, which happens to resolve conflicts.

This is the paradox. A kid is not able to realize the things he/she can do, because he/she fails to realize that some things come after some time. Adults do not realize they are able to go further, because they fail to realize they are more and more prepared for the conflicts.

While in "blindness" the path gets narrower. And the "light" is in your hand, waiting for you to be used and help you on your way.

segunda-feira, 28 de julho de 2008

Discurso de Formatura - Administração e Empresas com ênfase em Comércio Exterior 2008/1

Aqui nos encontramos, com a certeza do local, tempo exato e na companhia de testemunhas dessa nova etapa conquistada. Há alguns anos, percorremos o caminho que nos conduziu ao dia de hoje. Tristezas, preocupações, anseios e dificuldades não foram suficientemente fortes para que esse sonho se esvaísse pelo ar. Ainda lembramos quando o centro acadêmico entrou em nossas vidas. Era uma época de transição, de consulta de valores. A busca pelo conhecimento jamais se estagnou na mente desses futuros administradores aqui presentes. (Nietzsche) nos fala: “Quem tem algo por que viver é capaz de suportar qualquer ‘como’”. O unilasalle foi nossa vida, foi nosso dia-a-dia. Seria impossível falar que não respirávamos faculdade, que não pensávamos um dia sequer no ambiente que nos agregava a cada dia, mais conhecimento, esperanças, novas rotinas e, quem sabe, novos rumos? Quem não criaria vínculos com uma instituição que ao decorrer desse tempo lutou em conjunto para cumprir com nossas metas? Eu não saberia ditar a origem da felicidade que hoje sentimos, mas garanto que um de seus princípios foi a sala de aula, o diálogo com os professores, o círculo de amizades e por que não, as discussões? Esse composto de vida e aprendizado trouxe valor ao que chamamos de amadurecimento. Alfred. de vigny relatava, “Nunca encontrei uma pessoa da qual não tivesse nada a aprender.”. Os anos de Unilasalle foram essenciais para que estudantes pudessem tornar-se Administradores competentes. O tempo de Unilasalle revelou o verdadeiro significado da melhoria contínua. Estamos em constante evolução. Que o dia de hoje, tão celebrado, seja apenas uma pausa para comemoração, afinal ainda temos um longo caminho a percorrer. Esse período tão nobre em nossas vidas nos apresentou diversas faces que ficarão marcadas como uma fase de plena ascenção como cidadão. Colegas viraram amigos, professores viraram amigos, e o melhor, amigos continuaram sendo amigos. Como descrever um período que carrega maior parte de sua totalidade com saudosos momentos? Como suportar a mudança de ambiente da noite para o dia? Começo a sentir falta das aulas, dos intervalos extendidos, das visitas técnicas, das viagens, dos colegas e de todos aqueles que deixaram sua contribuição como seres humanos e companheiros de jornada. A responsabilidade do que fazemos é tão importante quanto a responsabilidade das coisas que omitimos. Portanto cada segundo deve ser lembrado como uma parcela da alegria que hoje estampa cada um de nós. Pois bem, a saudade é inevitável, a lembrança positivamente marcada é muito bem vinda, o que nos resta, é a certeza de que o dever foi cumprido com êxito. Damos um Adeus ou até logo ao Unilasalle deixando parte de cada um pelas dependências da instituição. Seja na biblioteca, no mural de fotos ou nas conversas dos colegas que permaneceram na faculdade. O homem é feito para a luta, não para o repouso. Não paremos por aqui, busquemos, dentro de nós, o que de bom podemos ainda contribuir para o futuro, coloquemos em prática a imensidão de ensinamentos que, caprichosamente, foram transcritos em horas aula. Meus amigos, como é bom vencer! Como é bom poder relembrar das vitórias, mesmo que estas tenham sido precedidas por derrotas. Mesmo que estas tenham resquícios de dor. É talento do ser humano, poder filtrar os bons momentos. Mas não esqueçamos, os maus momentos ainda dividem a glória, afinal foram a solução para contornarmos desvios de percurso. A alegria não está nas coisas: Está em nós. Celebramos esse dia tão especial, irradiemos a satisfação da luta e passemos adiante a certeza: “É preciso viver, não apenas existir!” BOA NOITE OBRIGADO!

sábado, 26 de julho de 2008

O que que é isso!?!?

E aconteceu! O que todos há muito tempo todos esperavam! No primeiro momento a reação geral foi a famosa negação, fingindo que nada estava acontecendo. Mas não, o que estava prestes a ocorrer, não era algo corriqueiro, mas sim um fato extraordinário! Durante muitos anos pesquisas foram feitas sobre o assunto, mas nenhuma explicação plausível foi encontrada. Estudiosos entraram em polvorosa, o google entrou em colapso! Todas as coisas, aos poucos foram se encaixando, nos primeiros meses os Sábios sairam das montanhas, Israel e Palestina assinaram um eterno tratado de paz e o futebol de domingo foi cancelado. Após o primeiro ano os acidentes de trânsito deixaram de existir, em pouco tempo nem trânsito existia, as moedas mundiais passaram a valer menos que uma maçã estragada. No segundo corrupção já constava nos livros de história! No terceiro livros de história não existiam mais. Aos poucos tudo passou a fazer perfeito sentido, o universo conspirava a favor de tudo! TUDO! Rebeldes passaram a exigir o caos, a crise! Mas logo depois desistiram. Um congresso de âmbito mundial foi marcado, o terno havia sido banido da vestimenta mundial, o que todos usavam era um lençol branco e a cabeça raspada, nos dias de frio simplesmente se passava frio. Logo nos primeiros minutos do congresso, o assunto já era sobre qual chá se deveria tomar para afinar o sangue. Logo se partiu para uma aula de yoga coletiva, ministrada por sua santidade o papa! Eis que no meio da postura do tigre, escuta-se passos, quem seria, o primeiro a escutar foi o nosso Lula, os outros mantiveram-se concentrados, em alfa! Eis que na sala surge Deus! E Deus grita! AMÉN!!!!

terça-feira, 22 de julho de 2008

Curto e grosso.

Às favas com um bando de delinqüentes que levam a política por profissão e não por altruísmo.
Primeiro: se alguém ao ler o que vou escrever aqui disser: "- O Brasil é um país ridículo!" ou "- O povo brasileiro é assim e não mudará!" que vá à puta que o pariu. Depois explico as razões.
Já vejo pouca TV. Quando ligo é tragédia para tudo quanto é lado. Posso dizer que os meios de comunicação de massa são hoje o que o Coliseu era antigamente.
Lembro da minha infância que, ao folhear o jornal, saia com as mãos cinzas de tinta. Hoje saem vermelhas de sangue.
Complementarmente, somos informados de mais políticos sendo flagrados em escândalos (ou ainda velhos políticos que ainda estão em ação), arrecadação recorde de impostos, férias dos parlamentares, inflação, congelamento de preços dos alimentos, alta do petróleo, Lei Seca e outras notícias que alegram até a mais sorumbática das almas.
Tudo é muito novo, não? Claro que não, pombas.
Violência e corrupção SEMPRE estiveram nas manchetes.
O que me deixa puto é que a maior parte das pessoas NUNCA faz nada para mudar.
Porra. Cadê os movimentos sociais? As passeatas? Os panelaços (critiquem os Argentinos agora... se os hermanos estão descontentes eles chiam)... Cadê a indignação das pessoas?
Os únicos que vejo protestar são vagabundos que estão em busca de um ideal que em nada agrega à vida em sociedade, herdeiros que uma política esquerdista decadente e individualista (sim, INDIVIDUALISTA!).
Enquanto isso vejo arrecadação recorde de IOF, em complemento à CPMF extinta, que não prejudica em nada o Governo. E este insiste em querer uma CSS. E a população mais preocupada com o novo DVD da Ivete Sangalo. Falando nisso, viram que ela anda meio de birra com a Cláudia Leite? Isso todo mundo sabe.
Já discordo antecipadamente àqueles que dizem que isto é reflexo de uma sociedade pouco privilegiada e culturalmente desinformada.
Se não fossemos tão "nas cordas" a tão reverenciada "potência brasileira" já teria se manifestado. Educar para o barbada e ilegal é tão exaustivo quanto educar para o correto. Só muda o ponto de vista.
Ainda bem que entre uma criança assassinada e outra aparecem uns heróis da contra-cultura (isso, contra-cultura mesmo, pois culturalmente se deve perseguir o errado) que nos ensinam lições como amor, respeito, dedicação e firmeza de caráter (são essas as razões que me fazem TER CERTEZA de que o povo brasileiro vai mudar, e esse país será levado a sério).
Pena que a Dercy se foi. Ela criticava a política, muito embora fosse criticada pelos palavrões.
Caralho!

segunda-feira, 14 de julho de 2008

Sexo, Drogas e Rock & Roll

Já dizia Erasmo Carlos: Mulher! Mulher! Do barroDe que você foi gerada, Me veio inspiração, Pra decantar você nessa canção... O Mestre das baladinhas das nossas avós não tem nada com o título desse post, a não ser a música que estou ouvindo nesse momento. A verdade é que não preciso ouvir Iron Maden para gostar de Rock, afinal Rádio Táxi daria conta do recado. Drogas? Já passou a fase, porém ainda sou vitimado pelos destilados do destino. E quanto ao sexo? Quem disse que precisa-se de uma mulher para consumar as vias de fato? Pois bem, precisa sim... Se você é do tipo que prefere contentar-se com qualquer genérico, prefiro sugerir a dança do quadrado, como melodia dessa inóspita escolha. Haja paciência, não é de hoje que ouço essa bela metáfora, Sexo drogas e rock & Roll... Mas o que será que isso realmente queria nos passar? Tudo bem que na época, era a rotina dos viventes... Mas paremos para pensar: Um roqueiro drogado teria capacidade de dar "umazinha" qualificada? Um michê cheirador de loló seria capaz de destruir uma fender clapton? Deixo dúvidas pairando no ar no mesmo momento que levanto a hipótese de que sexo drogas e rock & roll não passava de uma onda passageira. Assim como os diálogos que hoje insistem em presenciar nossos ouvidos: Miguxos, S2, suhasuhauhs, kposoksopks, adorooo, amoooo, meu tudo, com suas pedras construirei meu castelo, pega ficha-catraca seletiva ... e por aí vai! Presenciamos uma nova era, a era da Masturbação, coca-cola e emocore... O Sexo, drogas e rock & Roll foi perdido no tempo como um vagalume em meio ao brejo. Se antigamente você não poderia enfrentar alguém do lema hippie, hoje é sua chance. Acredito estarmos muito perto de presenciarmos um emo tomando refrigerante de canudinho enquanto chora e acaricia-se na calçada. Tem o que dizer sobre tudo isso? Bom era o tempo do lança perfume universitário.

quinta-feira, 3 de julho de 2008

Utopia

Perniciosamente afirmo: a vida é utópica.
Não me lembro bem qual propaganda atual diz que quando nos apaixonamos por alguém, não nos apaixonamos pela pessoa física, e sim por uma projeção. Concluo: amor é utópico.
Quando votamos em algum político, votamos nas promessas utópicas que ele faz. Concluo: política é utópica.
A vida em sociedade faz com que depositemos em outras pessoas expectativas de conduta, as quais nunca são atingidas. Concluo: a sociedade é utópica.
Artistas fazem suas obras com base nas suas idéias, buscando um objetivo. Quando estudamos o objeto artístico, dificilmente nos deparamos com a idéia do autor, e nunca atingimos o objetivo dele. Concluo: arte é utópica.
Mente aquele que afirma que conseguiu chegar aonde queria. É da natureza do ser humano querer sempre mais. É da natureza humana a utopia.
A utopia é a quimera humana? Não. Nascer é.
A utopia nos mantêm vivo. Ativo. Buscando atingir objetivos.
Quando nascemos entramos em um mundo de fantasia. Nossas, dos outros, de quem quer que seja. A utopia está aí para todos, é inafastável. A quimera existe quando alguém, responsavelmente ou não, escolhe colocar mais alguém no mundo. Agora, já que este alguém nasceu, seja bem-vindo à Utopia.
Quem sabe a origem do signo "utopia"?
Um pouco de pesquisa e verá que nada mais é do que um antônimo de Brasil (na sua pior assepsia).
 
Copyright 2010 pago bem!