quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Política, Mulheres, Cerveja e Futebol

Nada melhor do que isso. Um ideal, uma gostosa, uma gelada e um golaço. Talvez falte uma costelinha recém tirada da churrasqueira... mas não vou contaminar a costela.
Políticamente, nossa excelentíssima primeira dama, dona Marisa Rocco Botox da Silva, é um exemplo a ser seguido. Dois motivos:
Quem tiver o prazer de ler sua “vasta” biografia (disponível no site do Planalto), verá que ela nunca fez NADA. Pior, depois que assumiu o papel de 1a dama, não fez nada mais MESMO. O retrato perfeito do ideal político do atual governo.
Segundo: dona Marisa é cidadã italiana, e, num surto de inteligência, declarou que resolveu pedir sua cidadania para “garantir um futuro melhor aos seus filhos”. Isso quando ela já era 1a dama.
Amar futebol é natural ao brasileiro. Torcer pelo seu time é natural. Rir do rival é natural. Dar palpite na Seleção é natural. É natural conversar sobre futebol no trabalho. Falar com metáforas futebolísticas o tempo todo é “natural”.
Ser corinthiano é atestado de burrice e estupidez. É a comprovação da má-indole da pessoa.
Uma cerveja bem gelada não tem valor. Aquela ceva bem geladinha, depois de um dia inteiro de trabalho, ou ao confraternizar com os amigos... aquela loira com ou sem colarinho, pilsen, comum ou bock, em lata, garrafa, long-neck, casco, garrafa 1000 ml.
Agora, junte uma mulher, um corinthiano, cerveja em excesso e a política e veja na merda que dá.

2 comentários:

Beto disse...

Bah peter..muito bom! A combinação sugestionada no último parágrafo retrata um possível colapso mundial. Ainda bem que meu negócio eh Inter e um 12 anos com gelo. Abs

Peter disse...

Tche... minha salvação é que eu sou colorado... pq mulher, política e ceva é comigo! ehehehe

 
Copyright 2010 pago bem!