quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Como transformar uma vida em filme

Já nadei, corri, joguei futebol e surfei.
Já estudei, trabalhei, colei e acertei.
Já errei. Já me arrependi de muita coisa e fiz muita coisa que não me arrependi.
Já gargalhei, já solucei, já bebi e já chorei.
Já andei descalço, já viajei, já telefonei e ligações recebi.
Tomei café na cama, beijei, abracei e sozinho me senti.
Já arrisquei-me no trapézio. Já excedi o limite de velocidade.
Já senti fome e comi. Já senti sede e não bebi. Já tomei banho gelado, de chuva, quente, morno, de mar, de piscina e de cerveja.
Já apostei e já ganhei. Muitas apostas eu perdi. Já blefei, já menti, já contei a verdade e nela me perdi.
Muito conversei, mais ainda pensei e muitas vezes não pensei e agi.
Já fiz planos, já sonhei. Já atingi metas, já chorei de emoção e já me atrasei para o futebol entre amigos.
Já cozinhei e já coloquei sal demais. Já fiz doações e carinho eu recebi. Já dormi demais, onde não podia, ou onde não era confortável. Já contei histórias, já fui motivo de histórias e já participei de muitas.
Já fui um herói. Já tive heróis. Ainda tenho heróis, e já tentei ser como eles.
Já pulei, já gritei, já cantei e louco me senti.
Já reuni amigos, já vi amigos casando. Já ajudei amigos chorando. Já torci por uma vitória. Já torci por uma derrota, já torci por um empate. Já escrevi textos, crônicas, músicas, melodias, piadas, deboches, resenhas e uma infinidade de bobagens.
Já tive vergonha e já fui cara de pau. Já motivei e fui motivado. Já troquei de emprego. Já fui promovido. Já passei a noite em claro. Já me apaixonei, e já me iludi. Já tombei e tropecei, mas todas as vezes acabei levantando. Já fui ao circo, ao cinema, ao bordel, ao boteco da esquina, à igreja, para o exterior, o interior, o shopping, para a livraria, a farmácia, ao supermercado e ao centro espírita. Já andei de montanha russa e tive medo. Já andei de montanha russa e achei sem graça.
Já me senti como uma criança. Já me senti como um velho. Já amadureci. Reuni amigos para chorar o leite derramado, comer um churrasco, olhar um jogo de futebol, comentar uma festa e fazer uma boa ação.
Já tive prazer e já fui feliz. Continuo feliz. Acredito que sempre serei feliz. 
Já fiz o que queria e muito queria o que não fiz.
Tudo me leva a crer que minha vida é um filme. Sempre com um final feliz.

2 comentários:

Teuso disse...

Bah Peter, teu texto tocou meu coração, muito bom! Que seja com final feliz mesmo!

Beto disse...

texto gay

 
Copyright 2010 pago bem!