quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Como.

Incrivelmente o blog já completou um ano e meio. Mais um ano acabando, com saldo positivo, por isso o último post de 2008 é uma homenagem aos irmãos com que divido esta birosca (e aos leitores também). Ah, aos amigos não-leitores também.

E que venha 2009!

Como.

É bem verdade que o homem é produto de suas experiências.

É bem verdade que o caminho dele é repleto de tentativas e aprendizado.

É bem verdade que o resultado de tudo cria o seu caráter. Forma sua estrutura. Determina sua personalidade.

Como formar um homem de verdade?

É preciso ter amigos.

Conquistar pessoas.

Influenciar o próximo.

Servir de exemplo.

É saber rir nos momentos certos.

Chorar quando for preciso.

Agüentar o peso das responsabilidades.

Batalhar sempre.

É ter histórias para contar.

Sonhar.

Lutar.

Amar.

Ter um lugar que possa chamar de seu.

Plantar uma árvore e vê-la crescer.

Ter uma moral inabalável.

Uma família.

Ser lembrado pelas pessoas.

Ter atos e gestos que sejam exemplo e história.

Virar uma placa.

Uma lenda.

Escrever um livro e, se não tiver o dom, ter histórias para preenchê-lo.

Ter um olhar que mostre afeto e carinho.

Um abraço que ofereça conforto e segurança.

Uma postura firme. Forte. Decidida.

É ter um ideal.

É correr atrás do ideal.

É sonhar.

É transformar seu sonho em realidade.

É saber a diferença entre o bom e o ruim.

É fazer o bem acima de tudo.

É ser íntegro. Ilibado. Coerente.

É ser único.

Não é fazer sempre o certo.

É saber reconhecer o erro.

Aprender com o tropeço.

Levantar e seguir em frente.

Homem de verdade não é aquele que sabe de tudo.

É o que tem a experiência para saber onde procurar.

Aquele que busca incessantemente.

E quando encontra, ensina o caminho.

É rir. Gargalhar. Dirigir. Andar. Caminhar. Correr.

Jogar. Amar. Abraçar. Beijar.

Sonhar. Respeitar. Concretizar. Aceitar.

Pular. Refletir. Trabalhar. Questionar.

Que seu coração seja grande o suficiente para guardar todos aqueles que ama e que o admiram.

Que seu olhar diga mais coisas lindas que as palavras sábias que ele profere.

Que seu aperto de mão signifique pelo menos metade da sua segurança e sua integridade.

E mesmo assim ele continue sendo apenas uma pessoa. Humana e real.

Sigo os passos dos homens de verdade que conheci.

Meu pai. Meus avôs.

Meu caminho é único, diferente, como o deles.

Mas o desejo é o mesmo.

sábado, 27 de dezembro de 2008

Deus

"Deus é um conceito pelo qual nos medimos nossa dor." (John Lennon) Essa é a frase inicial da música God de John Lennon, não existiria melhor frase para começar uma música com esse nome. Como não sou nenhum gênio como John era resolvi copiá-la. Nessa época do ano, Deus, através da figura de seu filho mais ilustre, Jesus Cristo, torna-se muito presente nas nossas vidas, talvez menos que deveria, pois o verdadeiro espírito natalino está um pouco esquecido. Mas olhando a retrospectiva ontem na Globo, com tanta desgraça que acontece todos os dias do ano, pensei o que todos pensam: "onde está Deus numa hora dessas?". Mas por outro lado também penso, por que ele tem que ter o controle de tudo? Por que ele tem que ter criado o universo? O que é Deus??? Acho que Deus é exatamente aquilo que pensamos ser, cada um sabe o verdadeiro significado de Deus em suas vidas. De nada adianta ir todos os dias na igreja rezar e no dia-dia ser a pessoa mais descrente. Acreditar em Deus, na minha opinião, é acreditar em mim. Acreditar que coisas boas acontecerão quando mais precisamos. Como diria John Lennon na mesma música "I just believe in me!". OBS: na retrospectiva de ontem ouvi uma frase que me marcou: "... e em 2008 o mais Internacional dos times brasileiros pintou a América de vermelho!". Sim, Deus existe!

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Ponto

Acabar sem começar é o mesmo que iludir já que tudo deve ter começo meio e fim assim como as frases as pessoas os livros as histórias que mesmo inacabadas esperam por um desfecho e o desfecho pode ser conhecido pode ser inovador pode ser misterioso assim como as frases as pessoas os livros e as histórias já que saber acabar é uma arte tanto quanto saber começar ou ainda melhor é aquele artista que sabe começar mas alguém já pensou nos que não sabem começar tampouco acabar e são especialistas na arte do continuar que é tão trabalhoso inclusive mais trabalhoso do que começar ou acabar pois é dar seqüência a idéias e pensamentos de outros os outros que são tão diferentes como as frases as pessoas os livros e as histórias pensar viver modificar e refletir são arte assim como começar continuar e acabar existem outras formas de expressão artística como amar viver sofrer pensar mas nenhuma arte é tão bela quanto saber pontuar.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Entregue-se

Quem entrega algo, espera algo em troca ou se é gentil demais para esperar nada em torno da reciprocidade usual. E quem não se entrega com o intuito de receber no mínimo um “Obrigado” ou um mero sorriso de satisfação? De acordo com a evolução do homem, está em nosso DNA a troca de valores, a troca de recompensas, a troca de favores – Mesmo que tente se prevalecer o dar sem esperar nada em troca – a humanidade sempre quis que o bumerangue da gentileza, da solidariedade ou do amor fosse justo para com aqueles que praticaram, praticam, ou praticavam algum tipo de benfeitoria. Mas qual o laço que esse breve parágrafo pode fazer com o cidadão evoluído que sou, ou que você, leitor, és? Muita coisa! A arte de poder expressar-se em palavras sem focar um único sentido ou sem expressar uma única idéia pode fazer desse post uma mensagem subliminar. E isso basta! Para quem acompanha a vida dos escreventes desse blog, para quem sente na pele ou para quem simplesmente se doa e espera o mesmo. De fato a vida nem sempre é justa, às vezes damos mais, recebemos mais, ouvimos menos e somos subestimados demais, mas de que vale toda a boa intenção se nem sempre somos correspondidos? Valores como a integridade e a responsabilidade espiritual estão acima de todas as coisas, sobretudo a consciência limpa de alguém que tentou, tentou e tentou ... na espera de receber, mas recebeu menos que merecia. Se hão vítimas ou culpados, isso não cabe a uma mera explanação qualificar os autores, apenas ressalvar que nada se tem se não fizermos concessões (entenda-se entregas). Elas não doem, elas não matam e, muito menos, tiram a cor da vida, apenas te elevam ao plano de uma vida conjunta feliz, de uma amizade duradoura e de humanos mais honestos consigo e com sua felicidade tão buscada e quiçá compartilhada.

domingo, 7 de dezembro de 2008

Direitos Adquiridos.

Quanto tempo leva para termos o reconhecimento por aquilo que fizemos? O que deve ser feito? Como deve ser feito? Assim como eu, muitos que lêem este blog (uns 3 ou 4 viventes) devem ser jovens e estar iniciando sua trajetória na vida profissional e particular. Já temos um certo conhecimento naquilo que fazemos, mas as vezes não temos o devido respeito e confiança de pessoas à nossa volta. Na minha humilde opinião somente longos anos de trabalho árduo, estudo, dedicação, humildade e paciência, nos trarão o reconhecimento. Acho, também, que é algo interno. Temos que saber que fazemos bem o que fazemos! E seguir fazendo a coisa certa durante um longo tempo! OBS: 7 de dezembro de 2008, já passam das 19 hs e não ouço festa na rua... Não, o Grêmio não saiu campeão... Já o Colorado... Abs Feito o post friendos

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Quando a vida te passa uma rasteira

Todos têm algumas convicções em sua vida.
Convicções que servem como garantias, como base, como verdades absolutas. Permeiam tuas atitudes. Definem teus atos. Modelam tua pessoa.
São as raízes que sustentam todos os outros sentimentos existentes.
Por causa das convicções as pessoas tocam suas vidas. Com ou sem consciência (na melhor acepção da palavra).
Por óbvio que nem tudo na vida é manifestamente bonito. Nem tudo é certo. Muito pouco é eterno.
Entretanto, são as poucas coisas eternas que marcam. Que alegram. Que amamos.
As poucas coisas eternas - que passaram pelo crivo da certeza, da beleza, da admiração, e das quais sentimos saudades – nos fazem valorizar as inúmeras coisas temporárias. Nos suportam e nos motivam.
São puras e verdadeiras.
Há quem acredite que a vida dá uma rasteira. As coisas eternas são questionadas.
A verdade é maltratada.
O certo é nebuloso.
Enveredar-se pelas dúvidas ou inebriar-se pelas incertezas (ou também as falsas verdades) é sucumbir ao que se acredita.
É perder o sonho.
É padecer com a falta daquilo que era certo e puro. Verdadeiro.
Se a rasteira é bem dada, levantar-se não é regra. É exceção.
Viver de exceções é fortalecer.
Fortalecer é lutar.
Lutar é voltar a dar certeza. De que as rasteiras não mais te sucumbirão.
 
Copyright 2010 pago bem!