terça-feira, 17 de março de 2009

Plena convicção

Renata era uma jovem sedutora dotada de um corpo escultural, fruto da mistura de raças de seus pais. Um negro e a outra branca, deram origem à nossa protagonista, uma mulata de causar inveja e provocar incessantes suspiros no universo masculino, por onde geralmente desfilava. Rê, como era singelamente conhecida, sempre foi uma mulher de muitos amantes e poucas palavras, sempre doutrinava seus atos de forma com que os mesmos agregassem positivamente para seu bem estar, visando o social e o financeiro. Vacinada, surrada e ensinada pela vida, Renata transcorreu por uma infância deveras difícil, deveras infeliz e ausente de crenças. Filha de Alcoólatras decidiu jamais experimentar um gole do sedutor líquido que arruinou boa parte de sua doce juventude.Obrigada a crescer com rapidez e marcar seu território com uma personalidade forte e robusta, Renata cedo demais ditou sua liberdade. Rumou para a grande metrópole de seu estado, e estando apadrinhada por amigas nunca esteve sozinha ou solitária. Aprendeu com os erros de seus pais e estava disposta a ingressar no meio acadêmico, porém sua educação não foi exemplar, o que resultou em reprovações, frustrações e quiçá descontentamentos. Fato, esse, que desmotivou Renata, provocando sua procura por um ensino superior particular. Contrariando sua identidade feminina, Renata viu-se em um beco sem saída ao acumular boletos, títulos e refinanciamentos, sendo forçada a ter de providenciar uma renda extra, afinal sua mesada não bancava as cadeiras da faculdade. Estágios, empregos temporários, terceirizações... Renata não conseguia sequer entrevistas. Logo o pavor tomou conta, o vício pelo cigarro visitou-a em seguida e a bebida tornou-se um travesseiro de pedra para a busca de soluções. Eis que sua grande amiga perguntou o motivo de não usar seu belo corpo para adquirir o que queria na vida, afinal era esbelta demais para desperdiçar tal chance. Sem rodeios, contra argumentos ou negações, Renata sucumbiu à tentação e aliou prazer com retorno financeiro. Sua vida mudou, seus pais sem compreenderem a virada de mesa, elevaram o nível de vida e satisfeitos ficaram. Renata, por sua vez, entrou em um mundo obscuro oculto de sentimentos e suscetível a preços. Hoje sua vida encontra-se em aclive, Renata cursa seu sétimo semestre com destreza, tranqüilidade e um telefone que não pára de tocar. Atualmente sua vida é confortável, goza de luxos e amizades fúteis. Mulata arteira, como é conhecida, cobra R$ 250, 00 por momentos de muita luxúria, seus inúmeros Clientes forçaram-na dividir sentimentos de profissionalismo, dando à Renata seu maior trunfo, a plena convicção de que seu trabalho não dita sua vida, entretanto lhe planeja um próspero futuro.

5 comentários:

Peter disse...

quando comecei a ler achei bacana...

quando acabou tive a certeza de o assunto não poderia ter sido outro, dado o escritor...

Direção - Brasileirinhas disse...

Prezados,

Precisamos de um contato da "Mulata Arteira", para uma futura negociação para filmagem de nosso novo vídeo.

Agradecemos a atenção.

Direção - Brasileirinhas

Kid Bengala disse...

Eu aprovo, a mulata tem "o" swing.

Teuso disse...

Mulata Arteira!!! hehehehehehehehehe!!!! Esse definitivamente é o Beto!!!

Anônimo disse...

Q.I. de bengala?

 
Copyright 2010 pago bem!