sexta-feira, 10 de abril de 2009

Rotina

É impressionante como a rotina torna a vida vulnerável... Seja tornando-a vítima da gula, ócio ou preguiça, a rotina torna seu poder inimaginável quando combinada por noites em claro. Faz quase uma semana que presencio a rotina adentrando meu pátio. Seja ela por meio de conversas no MSN, tocando violão ou vendo as horas, que com velocidade avassaladora, passam sem dar “as caras”. Ainda ontem, parei e pensei como essa semana ociosa passou rápido. Comparando esse espaço de tempo com minha corrida vida nos últimos anos notei o quão é bom ter uma preocupação. Tenho que admitir que meus únicos pensamentos nesse exato momento fixam em música, papo furado e mulheres... seja ela minha mãe, a vizinha que esbraveja no pátio ao lado, algum babado no globo.com ou um contatinho dando sinal de vida! Mas ciente de que isso irá acabar (e eu torço pela rapidez), tenho curtido cada minuto como se fosse a prévia para um cochilo de plena tarde. Como é bom, há muitos anos eu não sabia o que era almoçar e dormir, dormir profundamente e acordar com os latidos dos cachorros. Certo que isso dá menos que raiva que refazer uma planilha em excel ou responder 30 e-mails por hora. Pudera, eu já estava tomado pelas siglas de encaminhar e responder do meu Outlook. Vendo o lado positivo, meus pés estão muito arejados, hoje muito gratos pelo alívio do sapato, do mesmo modo que meu pescoço, todo serelepe, já não demonstra pavor de gravata ou terno, meus perfumes estão mantendo a mesma quantia de mls e nem estou gastando tanto com aparelho de barbear, o que me possibilitou pegar a sessão das 14h no cinema. Bem, certamente já descobriram o motivo dessas férias forçadas, e é fato que não é tão legal ficar em casa o tempo todo, por isso saio para pedalar, visitar alguns parentes e tornar minha vida produtiva. Agora que já providenciei minhas documentações e anulei os vínculos que outrora existiram, me resta fazer os cálculos e ver até quando resisto ficar em casa sem trabalhar! Brincadeira... Afinal a vida de jardineiro e dono de casa também é monótona e tremendamente precária em novidades. Já enjoei da sala, nem durmo no quarto, a cozinha nem me vê, o que me sobra é perambular atrás de algo que me motive, afinal a tela do meu computador já não atura meus sites e viagens. Para finalizar, comunico que minhas férias chegaram na metade, porém o relato da rotina finaliza aqui, quando a partir de agora tentarei fazer tudo diferente, e quem sabe, quando eu voltar de viagem já regresse para a saudosa vida de trabalhador.

8 comentários:

Peter disse...

contatos?

é o famoso ócio criativo... a ociosidade está a aflorar tua criatividade...

quem sabe lança uma linha de camisetas engraçadas... vai ficar rico...

Carol disse...

Viagem de negócios - R$1.200,00
Almoço com os clientes - R$ 300,00
Conta de celular - R$ 120,00

Acordar as 11:00 na segunda feira e ver que não está atraado pq foi demitido na sexta feira não tem preço!

mesmo trabalhando com o meu pai...eu ainda continuo procurando emprego ou um raio de estágio!....mas tah difícil

Beijoooooo
=]

A Publicitária disse...

Já sei, eu sou o contatinho dando sinal de vida no msn!

Tiazinha do H disse...

Tá desocupado?
Me liga! Bj.

Teuso disse...

"a partir de agora tentarei fazer tudo diferente" pelo menos louco tu não é!

Não Somos Apenas Rostinhos Bonitos disse...

eNTENDEMOS PERFEITAMENTE!

Samantha disse...

Achei o post bem interessante, porque descreve perfeitamente como eu imagino que é estar sem emprego e ficar em casa, sem fazer nada relacionado a trabalho. Rico em detalhes também, bem engraçado, mas não me parece tão monótono, e sim divertido, POR UM TEMPO, É CLARO! beijos. ;)

Peter disse...

Beto bombando contatinho... (com todo respeito Publicitária)...

 
Copyright 2010 pago bem!