segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Do Nada Veio o Vento

Do nada veio o vento. Eu tava na quadra de tênis hoje, tava quente, abafado, tá certo que uma tempestade tava se formando, mas um segundo antes de bater a maior ventania que eu já presenciei, a velocidade do vento era perto de 0 km/h, não tinha nada de vento! Daí do nada veio uma ventania que fez tudo levantar vôo, o mais magrinho da quadra quando eu vi tava agarrado no poste de iluminação! Era bolinha voando, mesa saindo rolando, saibro no olho, um tufão ou alguma coisa do tipo... Eu nunca tinha visto isso antes. O vento era tão forte que não deu mais pra treinar por causa dele. Nos meus vários anos de tênis eu nunca tinha passado por isso. Duas coisas importantes me vieram na cabeça. O aquecimento global está começando a afetar a minha vida, como eu nunca tinha percebido antes. Há quem diga que tudo isso é cíclico e talvez não exista tanta influência dos seres humanos para que isso aconteça. Sei lá, parece que o aquecimento global é mais lógico (Dêem uma olhada no filme “Uma verdade inconveniente”). Mais do que nunca é hora de fazermos alguma coisa, pegar e dar mais carona, ir de ônibus, banhos mais curtos, xixi no banho... enfim, mudanças de hábitos. A outra coisa que me veio na cabeça, e que ta nela há alguns dias é a impermanência (Detalhe que o word não reconhece essa palavra). Assim como num segundo não tinha nada de vento e no próximo havia o vento mais forte que eu já presenciei, todas as coisas mudam, podendo ser pra melhor ou pra pior. Isso é impermanência. Por começar pelo universo que nós estamos, ele não existia, um dia aconteceu o big bang e tudo começou, o universo ta envelhecendo e um dia vai acabar. Nos darmos conta da impermanência é sabermos que nada é pra sempre, que um dia a gente vai morrer, e sim, pode ser agora, o temporal que ta caindo pode fazer com que o telhado da tua casa caia na tua cabeça e tu morra. Que venha um tsunami e destrua tudo! É saber que todas as pessoas que a gente mais ama também vão morrer, ou podem se tornar as pessoas que a gente mais odeia, ou nós podemos amá-las pro resto da vida. Que amanhã tu seja despedido e que no sábado tu pode ganhar na loteria. Que tu pode se matar estudando e não passar no vestibular, ou passar em primeiro lugar e ser o médico mais bem sucedido do país até tu descobrir que tu tem a doença que tu sempre curou e não a curar, ou se curar e se tornar o melhor médico do mundo. Que tu pode sofrer e fazer os outros sofrerem, ser feliz e fazer os outros felizes. Não se consegui passar algo sobre impermanência, mas pra mim ela é o melhor meio pra conseguirmos a liberdade, de vermos as pessoas com mais compaixão, de valorizar o que temos e que vivemos. E principalmente de evitar o sofrimento, pois se sabemos que tudo pode acontecer, além de vivermos mais intensamente o momento, aproveitaremos melhor os momentos felizes e não morrermos sofrendo porque estamos com câncer ou porque a pessoa que tu se casou e montou uma família descobriu, depois de 20 anos de casado, que tu não era o amor da vida dela, ou tu pode descobrir isso... Simplesmente saberemos lidar com isso. Saber da impermanência é ser livre. OBS: Vejam o filme Paris, é espetacular.

7 comentários:

Beto disse...

a impermanência é interessante sim.. gostei desse conceito

cocô no banho também é uma postura ecológica?

abs

Beto disse...

Aí eu te pergunto: Se teu time perde, você fica contente por saber que não se poder ganhar e pelo fato de outras pessoas puderem comemorar?
Para mim, isso também é impermanência.

Samantha disse...

Achei bem interessante o conceito
de Impermanência, porque realmente as coisas são desse jeito! Acredito que se soubermos que coisas boas ou ruins podem acontecer, conseguiremos lidar melhor com as variadas situações da vida, realmente bem interessante! Os exemplos que tu deu foram bem precisos, e um deles, particularmente, achei bem engraçado. Parabéns pelo texto, escreveu bem, simples e exato! :)

PS: acho que tu deveria postar o texto "impublicável", e outra observação que tenho a fazer é que, por incrível que pareça, ainda não li nenhum comentário gigantesco aqui, o que é uma surpresa para mim... o Matheus entendeu né? Hehehe.

Beijos :*

Samantha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Peter disse...

É chegada a hora do comentário gigantesco.

Sim, eu sou o cara que publica um post enquanto comenta. Tudo pq adoro colocar lenha na fogueira.

O Teuso sabe muito bem disso, pq ele quase sempre é vítima dos meus comentários... hehehehe

Hoje não! Pq a própria discordância é impermanente.

A impermanência é o caminho para a liberdade.

Mais importante do que a própria impermanência é a consciência que devemos ter sobre ela.

O melhor resultado de ser consciente sobre a impermanência? O presente.

Compreender a impermanência é MUITO fácil. Os exemplos dados são excelentes.

O difícil é internalizar a idéia. A boa notícia? Internalizar uma coisa é impermanente (podemos sofrer no início, mas conseguiremos internalizar, pq até nosso modo de pensar e agir é impermanente).

Uma vez internalizada, o sofrimento é afastado, pois estaremos preparados para "o que der e vier".

Isso nos dá liberdade. Para agirmos, pensarmos, vivermos.

Viver com liberdade é uma dádiva que muitos tentam e pouquíssimos conseguem.

Qual motivo?

Vivem de apego a uma pessoa, uma idéia, um objeto, um lugar...

Uma vez pensando na impermanência, as correntes que nos prendem são cortadas... e vamos aonde quisermos.

E o presente, onde fica?

Vivendo com liberdade (através da impermanência), aprendemos que o futuro é incerto, e passamos a prestar mais atenção ao momento presente... vivemos o instante... aproveitamos ainda mais as situações...

O ser "permanente" (leia-se: sem liberdade) pensa no futuro (ou até mesmo no passado), e deixa de preocupar-se com o que está vivendo...

Deixa de admirar uma bela paisagem... deixa de aproveitar uma boa companhia... deixa de sentir o aroma da primavera, pois está preocupado com como estará seu corpo no verão... e quando o verão chegar, ele estará preocupado com o que ele fará no inverno...

A impermanência é o caminho da felicidade.

Como?

A impermanência mostra que estamos felizes agora...

E ainda há pessoas que insistem em "buscar" a felicidade.

Hoje é maravilhoso!

Abraços!

Teuso disse...

Bah Peter ótimo comentário! Botou meu texto no chinelo!! Abs!!

Peter disse...

Teu texto tá ótimo... apenas complementei com uma divagação ego-filosófica sobre a impermanência, a liberdade e o presente...

Pior que hoje tive um lampejo de idéia para falar sobre isso... mas minha mente impermanente não segurou a idéia... hehehehe

abs

 
Copyright 2010 pago bem!