terça-feira, 8 de dezembro de 2009

O Umbiguismo

Acredito que a maioria dos problemas que existem hoje em dia na nossa sociedade consumista e capitalista gira em torno de um grande problema, que é fruto de nossa ignorância, o egoísmo. Somos criados sendo consumistas, os pais acostumam seus filhos a terem coisas, mimam seus filhos, os protegem como se estivessem dentro de uma bolha. Nada pode sair errado pro filhotinho , muitos crescem sem ouvir a palavra não. Claro que isso cria um comportamento totalmente voltado para as necessidades pessoais. O mundo do lado de fora pouco importa, desde que “os meus interesses” não sejam afetados. O resultado disso são políticos que entram em cargos com objetivos pessoais, relacionamentos fracassados e pessoas infelizes, e que se tornam cada vez mais infelizes por esperarem que tudo gire ao seu redor. No âmbito da política, não é difícil de perceber que o que mais importa para os nossos gloriosos, deputados, ministros, presidentes e afins, é a imagem pessoal, as próximas eleições, as diárias, o aumento nos honorários. A maioria deles nunca se deu conta (por ignorância ou falta de caráter), que eles, mais do que ninguém, são capazes de transformar a vida das pessoas de seu país, estado ou cidade. E por ignorância também, acham que existem coisas mais importantes do que trabalhar pela melhora da sociedade que eles representam. Já nos relacionamentos o problema se repete, é costume esperar muitas coisas dos outros, fazer alguma boa ação para o seu companheiro pensando em receber algo em troca. Não são raros os casos que conheço de relacionamentos que desmoronam pelo simples fato das pessoas só pensarem em si, “no que é bom pra mim”. O que vou ganhar, os relacionamentos parecem ser cada vez mais um contra o outro. Quem trai mais, quem consegue controlar mais o outro, eu quero isso, tem que ser assim... O que gera são pessoas infelizes, insatisfeitas com o relacionamento, com o emprego com seu corpo. Com o MEU namoro, MEU emprego, MEU corpo. E o resto? O que temos feito para as outras pessoas serem felizes? Pra mim a sociedade funcionaria melhor se as pessoas focassem menos em si mesmos, e olhasse o eu como um todo. Utopia? Talvez... Parafraseando Natiruts “cantando mando um alô, para você que acreditou, que podia ser mais feliz, vendo o outro ser feliz”. Acho que é por ai!!

27 comentários:

Beto disse...

A frase final do natiruts detalha, realmente, a essência do post.

Vivemos em um universo nada paralelo ao umbiguismo, quisera ele fosse uma realidade virtual, porém seu reflexo é demonstrado de várias formas... sem ir longe, imagine a cena: uma pessoa derruba uma cédula (dinheiro), um terceiro pega a mesma e náo devolve.

Sem ilusões, a sociedade que vivemos não impões tal comportamente, porém ele é automático... pensamos em nós primeiramente, depois veremos se essa pessoa "distraída" não sofrerá danos maiores com essa `perda`. Tentei traçar algo que ilustrasse esse egoísmo.

Simples porém direto, de grande valor assim como esse texto.

Abs

Peter disse...

Deixa eu tirar o pó do teclado antes de comentar...

Seguinte... vocês sabem que sou do contra.

Algo em mim concorda com o texto, e algo em mim discorda.

Não peço que concordem comigo, pois não sou umbiguista... apenas vou expor uma opinião (que ainda não sei se é a preponderante em mim).

O que acredita que pode ser feliz vendo o outro ser feliz também não pode ser considerado umbiguista?

Explico.

Faço o outro feliz, POIS ISTO FARÁ A MINHA FELICIDADE.

Não faço pelo outro, e sim por mim. Umbiguismo puro.

Sim, vivemos em uma cidade consumista e capitalista, agora, o que isso tem a ver com o umbiguismo?

O capitalismo busca gerar riqueza. Busca o desenvolvimento, e a riqueza gerará mais riqueza, num ciclo virtuoso, beneficiando as pessoas que vivem em um grupo social.

Claro, utópico. Assim como o socialismo é utópico. O comunismo também.

O capitalismo gera riquezas e ALGUMAS (não todas) pessoas tiram proveito disso, em detrimento dos proveitos que uma sociedade teria.

Explico.

Falta distribuição de renda.

Isso não é culpa do sistema econômico e do modelo liberal. Não é culpa do governo democrático, anarquista, parlamentar ou do reino.

É culpa das pessoas.

É culpa de POUCAS pessoas.

O umbiguismo existe. Seria hipocrisia dizer que não, agora, taxar a sociedade de umbiguista é, no mínimo, muito umbiguismo.

Resumo: o umbiguismo é um problema da falta de cultura. Cultura intelectual. Falta da prática do famoso "olhar para dentro".

É resultado de medo.

Já falei que o medo é o que move a sociedade?

Peter disse...

aliás, olha o eu como um todo não é uma forma de umbiguismo?

Peter disse...

anyway... gostei do termo...

Beto disse...

Está para acontecer um dia que:

1. O sr peter concorde com algum post
2. O sr peter consiga comentar em breves linhas
3. O sr peter dê um jeito em seu cabelo

Adestrador de renas puxadoras de trenó disse...

Umbiguismo é o estudo dos umbigos?

Peter disse...

1. Quero polêmica, que nem o Lauro Quadros!

2. P-O-L-Ê-M-I-C-A.

3. Se cabelo fosse bom não nascia na bunda.

Papai Noel disse...

Prezado Sr. Adestrador,

Desejo reclamar sobre uma rena supostamente adestrada que adquiri.

Onde fica o Serviço de Atendimento ao Consumidor?

Grato pela atenção.

Velho Barrigudo com o Saco nas Costas

SACRPT - Serviço de atendimento ao cliente das renas puxadoras de trenó disse...

Prezado velho de cabelo no queixo, boa tarde.

Vamos alinhar alguns detalhes não explorados em nossa negociação:

1. Renas devem puxar trenó e não sua carroça de coleta de papelão;
2. Não aconselhamos a realização de atos sexuais com nosas renas;
3. Se elas pedirem água, não dê gasolina;
4. Se você tiver sede, não beba a gasolina;
5. Por último, pague o leasing antes de reclamar.

Silvio Santos disse...

1,2, Pin, 4,5, Pin, 7,8, Pin...

Lombardi (conectado via rede Chico Xavier) disse...

Mas oi Sílvio!

Sabe pq o Papai Noel não tem filhos?

Papai Sacudo, digo, Noel disse...

Se os datalhes não foram explorados, eles não fazem parte da negociação.

Se eu bebo gasolina é problema meu, e ninguém tem nada a ver com isso.

Se as renas tem sede, é porque deram bala para elas. Seu programa de adestramento deveria cuidar para que as Renas não fossem viciadas em porcaria.

O leasing será pago assim que a Associação de Shoppings Brasileiros pagar meus honorários de exposição contínua e papo infernal com crianças remelentas.

E outra, pratico atos com quem/com o que eu quiser. Quer?

Sílvio Santos disse...

Não, pq?

Está com tosse, Lombardi? Tome
A-tro-ve-ran...

Richarlyson (Atendentente do SACRPT) disse...

Quero! Demoraux...

Teuso disse...

Auãn...

Lombardi (escrito utilizando meu modelo BlackBerry Chico Xavier) disse...

Mas oi Silvio,

É pq o saco é de brinquedo!

Agora é hora...

Bom Velinho disse...

Ricky, querido, saia do banco do São Paulo e sente aqui no meu colo...

Peter disse...

Bah... os comentaristas tem vida própria...

Beto disse...

Post bombando...
qual era o assunto mesmo?

Beto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Teuso disse...

O eu como um todo nada mais é do que um "we are one" Kiss. You are me, I am you... por aí pedrinho!
Papai Noel! Me dá uma caloi!
Peter, larga de ser mala!
Seupa!

Velho Tarado, digo, Barbudo disse...

Teuso, Papai Noel te dá uma Caloi sim...

Senta aqui no colo do Tata...

Atendente de lancheria de rodoviária do interior disse...

Papai noel, quero um rizole...

Peter disse...

O que me intriga é o motivo pelo qual penso no outro...

É pq sou altruísta ou é pq quero sentir que estou bem comigo mesmo?

Entende?

Pensar no outro pode ser um reflexo de uma conduta umbiguista...

Beto disse...

Concordo quando o "pensar" no outro possa ser atribuído como uma atitude umbiguista.

O "pensar", relacionado com uma projeção, pode refletir o que queremos em nosso universo, sem saber a vontade e o ego de quem se foca.

Do outro lado, poderia ser genérico demais achar que essa simples projeção, a demasiada preocupação, possa ser um artefato de comando, de controle. Falar por todos ou por tudo seria um equívoco muito grande.

Acredito que é uma discussão sem fim... afinal adentraremos em tópicos como felicidade, como confiança (a auto e a em terceiros), a religiosidade... bem, cabe um novo post...

Samantha disse...

Adorei, Matheus! Muito bem utilizado o trecho da música...

Sempre se torna de grande utilidade elaborar reflexões como essa, parabéns!

Beijos.

sweet apple disse...

às vezes o umbiguismo é um mal necessário...
eu explico;nem sempre qnd agradamos ou fazemos pessoas felizes, fazemos o que realmente queremos...existem pessoas que amamos, e nem por isso deixaremos de contraria-las caso isso seja um mal necessário.Talvez o umbiguismo seja preciso para impulsionarmos a fazer aquilo que realmente queremos,quando somente nós mesmos acreditamos que aquilo será bom para nós. Um exemplo é a impermanência, será que não pode ser vista como umbiguismo?
Não criamos expectativas,não comprometemo-nos com o dia de amanhã,nem com ninguém.Isso pode chatear muitas pessoas que acabam criando expectativas em relação a nós.E nem por isso mudamos, pq achamos que isso é o certo...
Afinal:

"Sexo verbal não faz meu estilo
Palavras são erros, e os erros são seus
Não quero lembrar que eu erro também
Um dia pretendo tentar descobrir
Porque é mais forte quem sabe mentir
Não quero lembrar que eu minto também
Eu sei
Feche a porta do seu quarto
Porque se toca o telefone pode ser alguém
Com quem você quer falar
Por horas e horas e horas
A noite acabou, talvez tenhamos que fugir sem você
Mas não, não vá agora, quero honras e promessas
Lembranças e histórias
Somos pássaro novo longe do ninho
Eu sei"


"Disciplina é liberdade
Compaixão é fortaleza
Ter bondade é ter coragem...
Lá em casa tem um poço
mas a água é muito limpa."

 
Copyright 2010 pago bem!