quinta-feira, 11 de março de 2010

Jogos de Meninos e Meninas

Bem que o nome deste texto poderia ser "Traição e Inteligência" ou "Traição e (falta de Inteligência".

Na segunda-feira, dia 1/3/2010, a London School of Economics divulgou uma pesquisa abordando a relação entre o quociente de inteligência (QI) e a fidelidade masculina E feminina (reportagens sobre o tema na Folha de São Paulo e no Jornal Nacional).

Ok. Até aí tudo bem.

Fato é que os pesquisadores concluíram que os HOMENS que possuem QI mais elevado estão menos propensos a traição, e traem menos (ou não traem) suas parceiras (para as curiosas, meu QI é de 147). Trocando em miúdos, quanto mais inteligente, maiores as chances de o homem ser fiel.

Por outro lado, as mulheres com QI elevado traem tanto quanto as mulheres com QI abaixo da média. Ou seja, para as mulheres, não há relação entre sua inteligência e a sua fidelidade.

Ora, isto acaba com um dogma.

Já ouvi inúmeras vezes que "os homens traem por oportunidade, enquanto as mulheres traem apenas quando estão apaixonadas". MENTIRA!

Agora está comprovado cientificamente que as mulheres estão mais propensas a trair por oportunidade do que os homens. Um viva à impulsividade!

Tive o desprazer de ouvir alguns sexólogos comentarem a pesquisa, e todos teceram considerações pífias e fúteis, dizendo que os homens são visuais, sendo mais atraídos pela beleza alheia, ou de que as mulheres traem apenas quando estão apaixonadas... balela.

Impressionante como os sexólogos tem problemas:

  1. ou eles não entendem como as pessoas se relacionam sexualmente, e as raízes do comportamento humano;
  2. ou eles não entendem e não se preocuparam em pesquisar sobre a pesquisa (a redundância foi necessária).

A conclusão mais importante da pesquisa passou despercebida.

Segundo os pesquisadores responsáveis (e eu concordo com eles) a pesquisa demonstrou que o homem está evoluindo. Aperfeiçoando-se.

Aqui é onde eu quero entrar e discutir.

A pesquisa demonstra que os homens estão evoluindo sua matriz. Estão desenvolvendo a raiz inconsciente que permeia suas atitudes desde o tempo das cavernas.

O homem das cavernas necessitava ser polígamo, para que garantisse a perpetuação da espécie. Eles viviam na média de 15 a 20 anos, e, portanto, precisavam ter o máximo de parceiras possíveis para garantir a evolução e o desenvolvimento de sua tribo. Era um processo instintivo.

A autodefesa é um processo instintivo e natural, moldado por áreas do cérebro que o ser humano não tem controle. Por isso o homem das cavernas não era "fiel", pois utilizava a promiscuidade para garantir a defesa da espécie, eis que ele não era o topo da cadeia alimentar.

Por sua vez, o homem moderno é a antítese do homem das cavernas. É o homem evoluído, com consciência de seu papel na sociedade, enquanto seu colega primitivo apenas agia, sem consciência.

É um homem experimentado e instruído que com o passar dos anos assumiu o topo da cadeia alimentar. O homem moderno é o homem mais racional, que busca agir apenas após alguma reflexão. A racionalidade fez com que o homem moderno adotasse novos hábitos, sopesando atitudes x motivações, diferentemente do homem das cavernas.

Por óbvio que a cultura geral foi moldando o homem moderno (como a imposição da monogamia pela Igreja), entretanto, o processo de evolução natural teve um papel marcante.

Ok. Até aqui nenhuma novidade (que para algumas pessoas pode até ser visto como uma enrolação).

O fato é que a pesquisa comprovou que o homem evoluiu, ao passo que a mulher não (por favor, sem sexismo).

O homem inteligente nega a promiscuidade (que lhe veio como uma herança genética de seu antecessor primitivo), pois racionaliza melhor e acredita que o mundo moderno é diferente e com outras necessidades.

A relação familiar (no caso a relação com sua parceira) é mais importante do que a relação com o meio, e essa conclusão só é feita com alguma divagação. Por isso que os homens com QI maior são mais fiéis.

Já a mulher não fez parte deste processo evolutivo específico (veja bem caro leitor, em MUITOS pontos as mulheres são mais evoluídas do que nós), e o fato de ser mais ou menos inteligente não influencia nas suas relações extraconjugais.

Veja este vídeo (trailer do filme "Infidelidade", com Richard Gere):

A esposa do filme, que era uma mulher inteligente e bem educada, trai o marido por uma mera oportunidade, e coloca tudo a perder (clichê...).

Agora, aqui está a importância de tudo isto.

Ela não é culpada.

Sim, ela não é culpada de ter traído o marido.

Como as mulheres não evoluíram nesta questão, elas ainda trazem consigo as heranças das mulheres primitivas. As mulheres primitivas viam o homem como um protetor, provedor, que lhes oferecia a segurança necessária para que sobrevivessem.

Meus caros, a mulher de hoje ainda precisa ter a garantia de que o seu parceiro é um protetor, provedor. Ainda que instintivamente, intrinsecamente.

A prova: você conhece mulher que quer um homem inseguro? Peça para ela explicar os motivos...

Mulheres gostam de homens seguros pois eles ativam uma memória antiga, originada na época dos homens das cavernas, em que os homens eram os responsáveis pela proteção da sua comunidade. É a evolução entrando em ação.

A esposa do filme traiu pois se sentiu insegura, viu seu "homem primitivo provedor e protetor" se acomodar no relacionamento, e não racionalizou quando a oportunidade de ser infiel lhe bateu a porta (clichê...).

Por isso nós homens temos que ser homens modernos-primitivos, racionalizando quando for preciso, mas mantendo as características ogras de nossos antepassados, tudo pelo bem do relacionamento (e para o deleite de nossas companheiras).

Por isso que digo, relacionamentos são um jogo, entre meninos e meninas, homens e mulheres. Em alguns momentos somos homens, ao passo que em outros momentos agimos como meninos.

O mesmo acontece com as mulheres.

Precisamos conhecer o jogador, para saber como agir na sequencia. Portanto, meu caro, trate de ser um homem masculino, conhecendo sua parceira mais do que ela conhece a ela mesma, e saiba o momento de ser homem moderno ou ser o homem das cavernas, sempre tendo em mente:

"Fragilidade, teu nome é mulher!"

Abraços.

3 comentários:

Freud disse...

Machismo brega!

Michelle disse...

Uaaauuu!!! Tava com saudade do blog...beijos Mi

Peter disse...

Mas pq machismo???

 
Copyright 2010 pago bem!