quinta-feira, 29 de abril de 2010

Exploração do Ego

De fato, o ser humano é explorador, sim! Permeia, peleia e quebra a cara... é a exploração do ego. Nada mais avassalador que a oportunidade que se tem de travar batalhas com seu auto conhecimento, e há batalha mais difícil que descobrir o limite do seu eu? Qualquer pessoa poderia definir seus próprios limites, porém quem conhece seus limites? O ser humano, quando colocado à prova de fogo testa seus limites assim como o cão testa a presença de seu dono por perto. Para o cão, seu faro comprova se o perigo está por perto ou não. Para o homem, luxos e caprichos prejudicam sua verificação de anomalias no caminho.

Pudera, o ser humano por natureza é medroso, salvo os aventureiros sem amor à pele. Não é minha intenção generalizar, porém conheço tipos que não tomam conhecimento de nada antes do próximo passo. Mesmo que de qualquer eles estejam no seu direito de testar os ápices de adrenalina, respeito! Enfim, o tópico do post não é discutir pontos de vista, apenas dissertar sobre até onde conseguimos ir de acordo com nossas previsões.

Essa semana ainda pensei sobre a exploração da minha vida. Penso que por vezes posso estar estagnado no tempo, que por vezes deveria explorar mais a minha capacidade de adivinhar/pressentir o dia posterior, ou até mesmo fechar os olhos e rumar à chuva... no pior dos cenários, molhado sairei.

1. Testando seus limites

Já fizestes algo sem planejamento, olhou para trás e se valorizou? Te consideras um explorador do ego e um absoluto no conhecimento de suas capacidades? Pois bem, está aí uma tarefa, um exercício de auto conhecimento que vamos tomando lições durante uma vida toda. Semana passada, ainda, fiquei pasmo por uma situação em que bloqueei ações que jurava ter controle total. Trata-se de um exemplo de limites, já ultrapassei tal limite, porém nossos limites são como músculos... atrofiam se não praticados.

2. Você acredita que pode ultrapassar seus limites?

Sun Tzu já dizia, em seu livro “A arte da guerra”, que encaminha-se sua vitória, quando seu exército acredita nela. Há dúvidas que o medo precede ou modela o fracasso? Lógico que não! Porém não há receita de bolo para motivar ou fermentar tal coragem. São nas pequenas ações que iniciamos nosso autoconhecimento, como desbravar ou desbloquear nosso medo.

A exploração do ego de um homem passa por etapas que a vida dele contempla naturalmente. Seja no primeiro beijo, no primeiro emprego, e porque não no primeiro término de um relacionamento?

Sabemos que passamos de fase quando beijamos, sabemos que crescemos quando temos nosso primeiro salário, mas e quando terminamos um relacionamento? Tudo bem, além dos momentos guardados, qual a parte da evolução está em questão? Nos primeiros dias, semanas, parece que se regride, tamanha confusão que o cérebro faz de acordo com as lembranças ou nostalgias ao quadrado.

A exploração do ego busca conhecer em si mesmo quanto de nós, nós nos conhecemos. Parece confuso, mas está aí uma prática para saber até onde ir, quando pular ou até quanto rir.

O comodismo atrapalha a exploração do ego do homem/da mulher. Nosso ego é constantemente alimentado por sensações boas criando intensas zonas de conforto. Zonas de conforto que mais parecem zona de confronto, geram confusões que, por vezes, pedimos mais ajuda do que água.

Explorar-se a si mesmo não é fácil, verificar aonde erramos para consertar e partir pra outra menos ainda. Dói, coça e irrita! Porém é necessário. Enquanto isso, apenas massageamos nosso ego com belas passagens, ou enquanto essas durarem.

E você, conhece a si mesmo?

Pagobem para te ver em conflito com teu próprio ego, faz bem!

3 comentários:

Teuso disse...

Onde quer que haja apego o resultado é problema e angústia... O auto apego é o pior de todos,não existe limite!! Fácil falar... um dia chego lá!!

Que nível esse blog!!

Peter disse...

Beto, Beto... cada vez melhor.

Muito boa a comparação dos limites com os músculos...

Se não explorarmos o nosso ego, jamais teremos consciência das nossas capacidades, e, consequentemente, viveremos desperdiçando nossa vida.

Anônimo disse...

Aff...Beto psicologo hehehe Passarei a da atenção as suas palavras...

P.d sweet of the biscuit

 
Copyright 2010 pago bem!