quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Desabafo

Gostaria de começar a escrever pensando sobre o futuro. Fui criado com a estúpida teoria de que a juventude era o futuro do país, que poderíamos transformar as coisas.
Já não tenho 16 anos. Fato. Meus conhecidos da política, que na juventude sonharam comigo e plantaram comigo as utopias de um mundo novo, são iguais ou piores do que aqueles que sempre criticávamos. Nem bordões novos temos, somos exatamente o que Elis Regina cantou (ainda somos os mesmos e vivemos como nossos pais). Somos enfim a geração perdida!
Perdida?, sei que neste momento, camarada leitor, você esta pensando se vai continuar lendo o meu texto....deve estar pensando” esse cara só critica”, mas calma. Preciso destilar o meu veneno pra mostrar minhas conclusões. Agüente só mais um pouco. Prometo que mais dois parágrafos de veneno e depois chego aonde quero.
Continuando, me sinto culpado por ter feito campanha para pessoas que realmente não valeram a pena. De ter trabalho no acampamento intercontinental da juventude, onde dizíamos que “um novo mundo era possível”, mas no final mostrou ser a critica sem qualquer objetividade ou proposta de construção. Agora é a minha parte, amigo leitor. Neste momento, eu me acho um merda.
Se me encontrasse comigo mesmo com 15 anos, tenho certeza que seria xingado. Como acreditar que o socialismo não é o melhor caminho? O socialismo morreu no leste europeu. Fato e não se fala mais nisso.
Passei alguns anos perdido, sendo vitima da maldição do pensar( te odeio Sartre!), mas cheguei a uma conclusão no mínimo interessante( como havia prometido cheguei lá!, valeu esperar !!!! ): é necessário adotarmos a pratica do cuidado. Conheci essa teoria criada por Leonardo Boff, em 1999 no seu livro “saber cuidar, ética do ser humano, compaixão pela terra”
Nesta obra, Boff declara que o ser humano vive a crise da solidão na sociedade globalizada, onde o virtual em muitas vezes supera o real. Ele propõe que entendamos a diversidade e trabalhemos em prol não do coletivo, mas respeitando as diferenças de necessidades e pensamentos.
Precisamos amar, não como sentimento, mas como forma de ação. Se você ama, você cuida. Definitivamente, precisamos cuidar da humanidade!
Estou convencido que temos que ter mais sentimento. FODA-SE a razão pura (Kant eu sempre te odiei, preciso te dizer isso,!) definitivamente temos que aceitar que para mudarmos o mundo, tornarmos ele mais justo, devemos amar o mundo.
Estamos amando o mundo?( neste momento você vai pensar numa musica infantil ou da Xuxa...por favor, não me subestime! To falando sério porra!) estamos trabalhando em prol dessa sociedade mais justa? Ou no final somos iguais aos que sempre criticamos?
Não penso em revolução. Acredito sim na evolução. Jogue os seus discursos fora. Não construa castelos, mas sim promova respeito aos que estão do seu lado e abaixo de você. Se queremos uma sociedade nova, não é necessário arma. É necessário atitude.
É, o texto até que ficou legal. Não tem nenhuma conclusão...nem esse era o objetivo. Como dizia o poeta, eu vim ao mundo pra complicar e não pra explicar... será que este é apenas um texto ou vale algo mais? Não sei... que tal pensarmos a respeito?
Escrito por Maurício Moschen, advogado de Porto Alegre.

0 comentários:

 
Copyright 2010 pago bem!