domingo, 17 de abril de 2011

Milagre nos Andes

O que te motiva? Qual é seu sonho? O que tu és capaz de fazer para realizá-lo? Por que tu quer isso tanto?


Essas são algumas perguntas que me faço frequentemente, por que algumas pessoas simplesmente são tão determinadas e dedicadas em conseguir alcançar seu objetivo, custe o que custar?

Li um livro acho que há um meio ano atrás e desde então queria escrever sobre ele. O livro conta a história, verídica, de um sobrevivente de um acidente aéreo envolvendo jogadores de rúgbi de um time da capital uruguaia que estavam indo para Santiago, no Chile. O nome do livro é: Milagre nos Andes de Nando Parrado.


A história é bem conhecida, o filme Vivos é sobre eles.

Só que esse livro é escrito por um dos sobreviventes, e não um simples sobrevivente, é um dos sobreviventes que arriscou a própria vida pra salvar a sua própria e a de todos os outros sobreviventes.

O que ele fez foi o seguinte: após sessenta dias sobrevivendo no frio, tendo perdido a mãe e a irmã no acidente, sabendo através de um rádio que as buscas por sobreviventes teria acabado e comendo carne humana (sim, das pessoas que morreram no acidente) para sobreviver, o autor decidiu sair atrás de ajuda.

Sem roupas nem equipamentos adequados ele caminhou na neve e escalou uma montanha de cinco mil metros de altura, isso tudo sob as piores condições possíveis. Ele caminhou por dez dias até encontrar ajuda para resgatar seus amigos.

Mas qual foi a razão de ele ter tido essa atitude?

Segundo ele era dizer para o seu pai que a irmã dele não morreu sozinha. Nando sabia que seu pai estaria arrasado com a perda das pessoas mais amadas e quis, mais do que tudo falar isso para seu velho.

Em uma das partes mais marcantes do livro o autor conta que estava escalando uma parede de gelo, e sentindo o penhasco o puxando para a morte, a única coisa que ele pensava era contar para seu pai que a sua filha não tinha morrido sozinha.

E quando suas pernas não obedeciam mais e estavam mais obedecendo ele disse que que entrou numa espécie de transe e a única coisa que pensava era o próximo passo. Isso durante dez dias ele só pensou no próximo passo, beirando a inanição e a hipotermia.

Mas por que dentro todos os sobreviventes foi Nando que teve essa iniciativa? Ele que conta que o que o influenciou foram as histórias contadas por seu pai na época que era remador em montevidéo. Seu velho esteve envolvido em uma competição ferrenha e quando a disputa estava no final, sentindo seus músculos rasgarem pela exaustão ele decidiu seguir remando ignorando a dor, o que o levou à vitória.

Vários não suportaram o sofrimento e se entregaram para a morte, mas Nando não, ele quis mais do que tudo sobreviver.

Vale a pena a leitura e a pergunta: o que você seria capaz de fazer (ou deixar de fazer) para alacançar seu sonho?

Pago bem pelo relato.

0 comentários:

 
Copyright 2010 pago bem!