quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Ensaio sobre a cegueira

Para ser lido ouvindo a trilha sonora da cegueira:

 
Pink Floyd - Lost for Words

Somos cegos.


Além de sermos cegos, somos ignorantes. Nossa cegueira nos deixa limitados.

Na verdade não somos cegos completos, e sim cegos funcionais. O pior tipo.

Cego funcional é aquele que enxerga, mas enxerga uma visão limitada. É aquele cego que não enxerga por opção.

Todos nós somos cegos funcionais.

Enxergamos o mundo da nossa maneira, da maneira como o mundo se apresenta para nós. Única e exclusivamente

Somos escravos de uma limitação que impede com que enxergamos o mundo com tudo que ele nos oferece. Sabemos disso e continuamos a enxergar apenas a nossa realidade.

Fracassamos constantemente, já que não enxergamos com os olhos do outro, daquele que está em nosso lado.

Quando enxergamos o mundo apenas com nossos olhos, deixamos de enxergar o mundo com os olhos dos outros, e perdemos a chance de expandir aquilo que é realidade apenas para nós para aquilo que é realidade também para os outros.

Tornamo-nos mestres apenas de uma única coisa: nosso mundo. Somos tudo que precisamos para apenas uma coisa: enxergar apenas o nosso mundo.

Somos ignorantes pois desconhecemos os outros mundos que existem.

Cada pessoa enxerga o mundo com os seus olhos. Cada pessoa possui a sua realidade.

E se experimentássemos enxergar o mundo com os olhos dos outros?

E se exterminássemos nossa cegueira funcional, enxergando o mundo com os nossos olhos, os seus olhos, os olhos daquele que está ao seu lado, do seu parceiro ou parceira, dos seus parentes, amigos, vizinhos ou com os olhos daquele estranho que acabou de atravessar a rua?

Deixaríamos nossa ignorância egoísta de lado, e conheceríamos a realidade de cada pessoa com que nos relacionamos (ou ainda aquelas que ainda não nos relacionamos)

Enxergamos o mundo com os nossos olhos e todos os demais olhos existentes, e seremos livres. Seremos capazes de viver a vida de forma plena, curtindo todas as infinitas nuances existentes, capazes de trazer a felicidade da forma mais simples, e ao mesmo tempo mais complexa.

Como já disse Lynyrd Skynrd: "se eu partir amanhã, você ainda irá lembrar de mim?"

Aquilo que olhos treinados e abertos veem, seu dono nunca esquece...

E aquilo que não é eterno, eterno será.

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Carta para o jovem eu

Já fiz um exercício parecido: escrevi uma carta para mim mesmo, dizendo onde queria estar daqui a um ano.

Passado o ano, recebi a carta e percebi como a vida flui.

Isso só é percebido depois que o tempo passa: no futuro, quando o tempo já passou.

Hoje vou escrever uma carta no futuro. 

Vou escrever uma carta de alguém que já aprendeu a perceber como o tempo e a vida passam, e deixar essa percepção para alguém que ainda terá a oportunidade de vivenciar o tempo. 

Como se eu deixasse a carta para que eu mesmo pudesse ler em meu passado.

Carta para o jovem eu:

"Caríssimo, bom dia.

É exatamente assim que os dias devem ser: bons.

Pouco importa se estiver chovendo ou se estiver sol na rua. Acorde e diga que o dia será bom. Aos poucos você vai aprender que bons dias são excelentes. E que dias excelentes são maravilhosos. E que dias maravilhosos são inesquecíveis.

Em um dia inesquecível eu ouvi que o tempo é senhor da razão.

E é.

Entendo a ansiedade de querer tudo o quanto antes. Entendo a falta de paciência. Entendo que queiras tudo para ontem. Entendo todas as dúvidas que te assolam. Entendo tudo isso. Sabe como eu entendo?

Eu já vivi isso e posso te contar o que aprendi.

Aprendi que a ansiedade e a pressa tapam nossa visão do hoje. Aprendi que ficava cansado apenas por esperar. E cansado meu corpo não percebia que o que eu queria sempre estava logo ali, do meu lado, na minha frente, dentro de mim.

Viva o hoje e as coisas que desejas chegarão sempre mais rápido. Verás que o tempo estará do teu lado. E terás tempo para fazer o que queres.

Aprenda a agir com a razão.

Aprenda a agir com o coração.

Aprenda que o segredo não é o equilíbrio entre a razão e a emoção, e sim saber em que momentos deves agir com razão ou com o coração.

Seja duro. Somente quando for preciso.

Seja forte com sua moral, seus valores, suas ideias e sonhos. Seja dedicado, que é assim que se constroem os sonhos.

Teus erros o tornarão sábio e cada vez mais preparado. Agora, por mais preparado que estejas, errar sempre será uma possibilidade e por isso deves saber lidar com teus erros. 

Errar significa aprender, e aprender significa sabedoria. Se ficares sendo duro contigo jamais perceberá que erraste, e perderás uma bela oportunidade.

Errar é ter a chance mais linda que um homem pode ter: a de aprender e ter algo para ensinar.

Seja leve contigo mesmo. Tente. O que tens a perder?

Relaxe.

Sabemos muita coisa e depois aprendemos que nada sabemos.

A vida é uma estrada com infinitos caminhos. Todos saberão ser difíceis, e cabe a gente escolher aproveitar a beleza e a felicidade existentes em cada um deles.

Por isso, meu caro, aprenda apenas estas duas lições: evolução é uma constante e as respostas para todas tuas dúvidas estão por aí, ao doce sabor do vento.

Acabando, sem acabar: jamais te esqueça de que és uma pessoa só, jamais só.

Por isso, aprenda o que significa humildade. Saiba aprender contigo e, mais importante, com todos os outros. Agradeça todo aprendizado e ensine. Sempre.

Torna-te um multiplicador: aprenda a aprender, aprenda a ensinar. Ensine.

Desejo-te todo um infinito de oportunidades, para que possas a aprender o que fazer com elas.

Eternamente,

Tua alma professora/aprendiz"

Observação: 
A ideia surgiu de algumas conversas sobre a beleza da vida, em 2009. Parada por todo este tempo, amadureceu e foi concluída após uma celebração de aniversário da maneira mais completa que um homem pode desejar: com admiração pelas pessoas que tu admira. Obrigado.
 
Copyright 2010 pago bem!