quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Ensaio sobre a cegueira

Para ser lido ouvindo a trilha sonora da cegueira:

 
Pink Floyd - Lost for Words

Somos cegos.


Além de sermos cegos, somos ignorantes. Nossa cegueira nos deixa limitados.

Na verdade não somos cegos completos, e sim cegos funcionais. O pior tipo.

Cego funcional é aquele que enxerga, mas enxerga uma visão limitada. É aquele cego que não enxerga por opção.

Todos nós somos cegos funcionais.

Enxergamos o mundo da nossa maneira, da maneira como o mundo se apresenta para nós. Única e exclusivamente

Somos escravos de uma limitação que impede com que enxergamos o mundo com tudo que ele nos oferece. Sabemos disso e continuamos a enxergar apenas a nossa realidade.

Fracassamos constantemente, já que não enxergamos com os olhos do outro, daquele que está em nosso lado.

Quando enxergamos o mundo apenas com nossos olhos, deixamos de enxergar o mundo com os olhos dos outros, e perdemos a chance de expandir aquilo que é realidade apenas para nós para aquilo que é realidade também para os outros.

Tornamo-nos mestres apenas de uma única coisa: nosso mundo. Somos tudo que precisamos para apenas uma coisa: enxergar apenas o nosso mundo.

Somos ignorantes pois desconhecemos os outros mundos que existem.

Cada pessoa enxerga o mundo com os seus olhos. Cada pessoa possui a sua realidade.

E se experimentássemos enxergar o mundo com os olhos dos outros?

E se exterminássemos nossa cegueira funcional, enxergando o mundo com os nossos olhos, os seus olhos, os olhos daquele que está ao seu lado, do seu parceiro ou parceira, dos seus parentes, amigos, vizinhos ou com os olhos daquele estranho que acabou de atravessar a rua?

Deixaríamos nossa ignorância egoísta de lado, e conheceríamos a realidade de cada pessoa com que nos relacionamos (ou ainda aquelas que ainda não nos relacionamos)

Enxergamos o mundo com os nossos olhos e todos os demais olhos existentes, e seremos livres. Seremos capazes de viver a vida de forma plena, curtindo todas as infinitas nuances existentes, capazes de trazer a felicidade da forma mais simples, e ao mesmo tempo mais complexa.

Como já disse Lynyrd Skynrd: "se eu partir amanhã, você ainda irá lembrar de mim?"

Aquilo que olhos treinados e abertos veem, seu dono nunca esquece...

E aquilo que não é eterno, eterno será.

0 comentários:

 
Copyright 2010 pago bem!